"Nada é tão nosso quanto os nossos sonhos" (Nietzsche)
Mostrando postagens com marcador Amazônia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Amazônia. Mostrar todas as postagens

Ilha do Amor: O Cartão Postal do Caribe da Amazônia

Ilha do Amor em Alter do Chão, Pará

Ei, gente!


Terminando a série do nosso roteiro pelo Pará, hoje eu venho falar um pouquinho sobre a Ilha do Amor, o principal cartão postal de Alter do Chão. A região é completamente controlada pelas águas da chuva, sendo apenas duas estações no ano: o inverno amazônico, caracterizado pelo período de chuvas intensas que ocorrem entre os meses de janeiro a julho, e o verão amazônico, caracterizado pela seca que ocorre entre os meses de agosto a dezembro. É uma paisagem diferente de tudo que estamos acostumados. Até no período de cheia dos rios é possível fazer passeios incríveis e que não existem na época de seca. São duas possibilidades de viagem completamente distintas.

FLONA - Floresta Nacional do Tapajós em Alter do Chão

Samaúma na FLONA do Tapajós, Amazônia

Ei, gente!!!


Hoje eu venho compartilhar uma experiência única que precisa estar no seu roteiro de Alter do Chão: fazer uma trilha pela Floresta Amazônica! A FLONA, Floresta Nacional do Tapajós, é uma unidade de conservação federal, criada em 1964. Se trata da unidade de conservação ambiental mais visitada da Amazônia, com seus mais de 527 mil hectares que abrange quatro municípios: Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis. Caminhar pela Amazônia foi uma experiência incrível. Em 10 km de trilha pudemos ver diversas árvores imensas, cipós, formigas de cheiro, a temida formiga tucandeira e muita natureza intocada. A Amazônia é surpreendente e de uma imponência impossível de ser relatada. É preciso sentir para, de fato, entender o que é estar lá.

Passeio Pelo Canal do Jari - Alter do Chão


Ei, gente!!!


No post de hoje eu trago mais uma opção de passeio de dia todo para incluir no seu roteiro em Alter do Chão: o Canal do Jari, um braço do Amazonas que faz ligação com o rio Tapajós. Não chega a ser um "encontro das águas", como acontece em Santarém, mas é nítida a diferença entre os dois rios. É um passeio bem interessante. Navegar pelo Canal do Jari é ver de perto as casas de palafita das comunidades ribeirinhas, além da fauna local que inclui jacarés, macacos, bicho-preguiça, iguanas, diversos pássaros, botos, sem falar no gado que vive à beira do rio. Na época da cheia, quando os campos ficam alagados, os moradores precisam levar os animais para terra firme. 


OBS: O passeio pode sofrer alterações dependendo da época que você for, pois no período da seca não é possível avançar muito pelo canal de lancha, sendo necessário trocar de embarcação, já que o canal se torna muito raso. Fomos em novembro de 2021 e fizemos todo o percurso de lancha.

Alter do Chão: Passeio Pelas Praias do Rio Tapajós

Praia do Cajutuba, Alter do Chão, Pará

Ei, gente!!!


Hoje venho mostrar mais um passeio incrível para você incluir em um roteiro pelo Pará: as praias do Rio Tapajós em Alter do Chão. O famoso Caribe da Amazônia é um dos destinos mais incríveis do nosso país e também desse imenso planeta água. Um cenário desconhecido por muitos e que muda drasticamente de acordo a época de chuvas. São apenas duas estações por lá: o inverno amazônico é caracterizado pelo período de chuvas intensas que ocorrem entre os meses de janeiro a julho e o verão amazônico, caracterizado pela seca que ocorre entre os meses de agosto a dezembro. O principal atrativo da região são as praias fluviais: durante a seca várias porções de areia ficam visíveis e formam magníficas praias com água morna e cristalina.

Mangal das Garças: Um Pedaço da Floresta Amazônica em Belém

Mirante do Rio no Mangal das Garças, Belém do Pará


Ei, gente!!!


Hoje eu vim compartilhar com vocês um pouco do Mangal das Garças, que é um pedaço da Floresta Amazônica em Belém do Pará. O espaço é o resultado da revitalização de uma área de 40 mil m². O que antes era apenas uma área alagada com extenso aningal, foi transformado nesse incrível jardim cercado por muita natureza, onde todas as árvores originais foram mantidas e preservadas, como o próprio aningal, mangueiras, açaizeiros, taperebazeiros, bacurizeiros, entre outras. O Parque também abriga cascatas, lagos, diversas aves, iguanas, tartarugas, arraias, borboletas e muita planta feliz com a altíssima umidade da região.