"Nada é tão nosso quanto os nossos sonhos" (Nietzsche)

A Primeira a Gente Não Esquece: Conhecendo uma Floricultura

Hello everybody!


Hoje eu venho contar mais um pouco da minha história com esses seres clorofilados: as plantas, claro. No post anterior falei sobre as minhas 10 primeiras suculentas, clique aqui e confira, que foram compradas no mercado, no dia 08/06/2020. Nunca imaginei sair para fazer compras e voltar com dez suculentas, mas bastou esse contato direto com as plantas para eu desejar conhecer um espaço totalmente dedicado à elas. Nesse post vou mostrar as minhas escolhas na primeira vez que estive em um Garden Center/Floricultura.


Admirando uma Columéia Peixinho. Coisa mais linda esse "biquinho". Filodendro Brasil ao fundo.


No dia 01/07/2020 eu me permiti passear em uma floricultura. Nem preciso dizer que fiquei encantada com tudo o que vi por lá, né? Foi transformador!!! Não consigo colocar em palavras a satisfação de estar cercada por tantas plantas ornamentais, cuja maioria eu nem sabia que existia! Sempre AMEI visitar jardins botânicos e estar cercada pela natureza, mas nunca cogitei trazer essa natureza para perto, ou melhor, para dentro de casa. Estar em um Garden Center foi a certeza de que um novo ciclo se iniciava na minha vida. Descobri um novo mundo que acabou se tornando o meu refúgio em meio ao caos da pandemia. Saí de lá renovada e com as minhas primeiras folhagens. Trouxe 5 novas moradoras para o apartamento e mais o trigo para gatos, mas o Mendel (meu gato) não curtiu kkkkk. Confira abaixo o registro que fiz assim que cheguei da floricultura:

Minhas escolhas no Garden Center. Se eu soubesse que um dia eu escreveria sobre isso no blog, teria feito fotos melhores. 

A primeira floricultura que conheci acabou se tornando a minha preferida na minha cidade, Vitória - ES. Ela é bem completa e não ganho nada para divulgá-la. Estou divulgando para que mais pessoas possam se encantar com tanta beleza. Confira o instagram da Sempre Verde Garden aqui.


As Primeiras Plantas que Comprei na Floricultura


1) Peperômia Melancia (Peperômia argyreia)

Foi a minha primeira escolha. Quando vi essa folhagem pela primeira vez no youtube fiquei apaixonada! Gente, só vejo melancias! Coisa mais perfeita da natureza. Foi a primeira planta "grande" que comprei, pois as outras estavam no pote 6 e essa veio na cuia 21. Custou R$ 23,90.






Dicas de cultivo:

- Cresce até uns 30 cm de altura, suas folhas são carnosas e brilhantes. As inflorescências das peperômias em geral são em formato de espiga e não possuem valor ornamental;

- Muita gente cultiva essa peperômia apenas na claridade, mas o ideal é que receba umas 2 horas de sol fraco da manhã ou do do fim do dia;

- Gosta de solo rico em matéria orgânica, drenável e mantido levemente úmido, JAMAIS encharcado. Atenção: ela apodrece com facilidade. Geralmente espero o substrato secar antes de regar novamente e tem dado certo no meu cultivo;

- Uma forma de obter mudas é através das folhas. Pode usar uma folha inteira ou até mesmo cortada ao meio. É só colocar na terra e manter com umidade que novas folhinhas irão nascer com o tempo.


OBS: As folhas da minha Melancia começaram a ficar deformadas, retorcidas para dentro, tortas. Pedi ajuda para o produtor e ele me recomendou adubar a cada 10 dias com um NPK equilibrado. Comprei o NPK 10-10-10 + micronutrientes líquido da DIMY. Atenção: estou seguindo a dica do produtor, mas calculei a proporção para adubar 3 vezes no mês sem exagerar na quantidade. Lembre-se: menos é mais.


2) Peperômia prostrata (Colar de Tartaruga)

Sim, esse colar de tartaruguinhas é uma peperômia. Como não amar essa delicadeza toda e suas marcações que lembram os cascos das tartarugas? Fico encantada com plantas que têm estampas e formatos inusitados. Amo num tanto! Encontrá-la na floricultura foi uma surpresa, pois o vendedor disse que não tinha. Por acaso eu resolvi olhar planta por planta e ela estava em um cantinho junto das Marantas e algumas outras plantas (confira na foto abaixo). Quase não reconheci que era o Colar de Tartaruga, pois estava bem diferente das fotos que havia visto nas redes sociais. Comprei no pote 6 e custou R$ 14,90.




Me deu um certo trabalho para replantá-la, pois estava toda embolada/embaraçada no potinho. Perdi várias folhas separando cada "cordão".


Algumas hastes têm folhinhas bem gordinhas e com uma película transparente, já outras possuem folhas fininhas e mais marcadas.


Olha como essas folhas são gorduchas.

Foto de como ela era quando fiz o segundo replante e como está hoje, 6 meses depois. O crescimento é um pouco lento, mas ela se desenvolveu bem.



Dicas de cultivo:

- Ainda não sei se é verdade que ela não gosta de sol direto sobre as folhas. Cheguei a ler que as marcações somem quando a planta está exposta ao sol, mas ainda não cheguei a uma conclusão. A minha ficava no sol da manhã, mas resolvi cultivá-la apenas na claridade e notei que ela se desenvolveu melhor. Não sei se foi coincidência, se foi a época ou se realmente tem a ver com a luminosidade;

- Gosta de solo rico em matéria orgânica e bem drenável para não acumular água. As regas devem ser abundantes (até escorrer pelos furos dos vasos) e um pouco espaçadas. Deixe o substrato secar entre as regas, mas não deixe esturricar.


OBS: Comprei outro tipo de Colar de Tartaruga no dia 25/03/21. Vou fazer um post separado mostrando essas duas Peperômias, pois elas são bem diferentes no tamanho.


3) Peperomia scandens ou Peperômia Filodendro

Eu estava doidinha querendo uma pendente e a Peperômia scandens era uma das primeiras da minha #wishlist de plantinhas. Ela já estava bem desenvolvida e com uma linda "cabeleira". Coloquei em um suporte de parede na varanda e o espaço começou a ser preenchido e a ganhar vida. Foi aí que percebi um pequeno jardim se formando na minha varanda. Estava na cuia 21 e custou R$ 27,90.



Replantei em um vaso pink e ficou uma combinação linda! Tentei deixá-la na mesa, mas o marido vivia esbarrando nela, daí tive que levá-la de volta para a varanda kkkkk.


Não sei lidar com plantas variegatas. Tenho uma enorme queda por elas. 


Não deu muito certo ela pendurada, pois quando ventava mais forte o vaso batia na parede e "machucava" algum galho. Comprei um suporte "margarida" e o problema foi resolvido.


Essas lindas folhas são cordiformes, ou seja, em formato de coração. Como não amar? Ainda mais com essas manchas na cor creme.


Dicas de cultivo:

- Por ser uma planta que fica pendente ela pode facilmente passar de 1 metro de comprimento;

- Essa é mais uma planta que muita gente cultiva apenas na claridade, mas o ideal seria receber um solzinho fraco da manhã ou do fim do dia;

- Diferente de algumas peperômias, essa não gosta de substrato mantido úmido. Faça regas abundantes, até escorrer pelos furos dos vasos, mas só volte a regar quando o substrato estiver seco;

- Para fazer mudas é só cortar um segmento do caule e colocar no substrato (muda por estaquia). Também é possível obter novas plantas a partir das folhas, mas as mudas perdem a variegação e nascem totalmente verdes. Já fiz uma muda dela por folha e a planta nasceu verdinha.


4) Maranta Triostar

Não resisti quando vi essa folhagem com manchas rosadas. Mais uma planta linda que estava na minha lista de desejos. Nesse dia eu já sai de casa sabendo quais plantas eu queria comprar. Confesso que só não trouxe mais porque o marido ficou me vigiando kkkkk. Comprei ela no pote 6, bem baby, coisa mais fofa! Custou R$ 14,90.




As folhas nascem enroladas como um canudinho. É muita lindeza!


Fico encantada com essa estampa. Cada folha é única e tem a sua própria "impressão digital". Perfeita demais.


Ela já está bem grande (foto de fevereiro de 2020) e em breve terei que replantá-la em um vaso maior. Algumas folhas estão ressecadas, pois ela sofre muito com o vento e a falta de umidade.


Dicas de cultivo:

- Apesar de ser chamada de Maranta ela pertence ao gênero Stromanthe, seu nome correto é Stromanthe sanguinea Triostar;

- Suas folhas podem passar de 50 cm de comprimento;

- Apesar de ser cultivada apenas na claridade, pode receber um solzinho fraco da manhã ou do fim do dia;

- É uma planta que gosta de muita umidade no ar e no solo. Você piscou e as pontinhas das folhas aparecem ressecadas/queimadas. Mantenha ela abrigada de vento, borrife suas folhas diariamente e não deixe o substrato secar para regar novamente. Cuidado com os excessos e evite o encharcamento. O substrato ideal precisa reter a umidade necessária e deve ser rico em matéria orgânica.

- A minha demorou muito para começar a ressecar as pontinhas das folhas, mas infelizemente ressecou.

- Folhas enroladas indicam sede! É diferente de quando estão nascendo novas folhas.


OBS: Outra característica dela e de outras plantas da família Marantaceae é que podem ser sensíveis a água da torneira por causa do excesso de cloro. Muita gente indica deixar um balde com água descansando por 24 horas para que o cloro evapore, mas eu prefiro usar um condicionador de água para neutralizar o cloro (produto usado em aquários). Fica a dica!


5) Calathea amagris

A última que escolhi foi essa folhagem delicada e que também pertence à família Marantaceae, com sua infinidade de estampas, cores e texturas. Dá para montar um jardim super colorido só com essa linda família botânica. Havia muitas opções de MarantasCalatheas e afins naquele dia, mas acabei escolhendo essa porque amei seu tom de verde meio menta com o verso roxo. Ao contrário da Maranta triostar, essa tem um porte baixo, seu crescimento é mais lento e suas folhas ficam menores. Comprei no pote 6 e custou R$ 14,90.


 



Dicas de cultivo:

- É chamada de Maranta ou Calathea, mas pertence ao gênero botânico Ctenanthe;

- Pode ser cultivada na sombra (bastante claridade), mas pode receber um solzinho fraquinho da manhã ou do fim do dia;

- Gosta de umidade no solo e no ambiente. Não acho ela sensível como a Maranta triostar que qualquer coisinha fica com as pontinhas queimadas. Costumo borrifar as folhas diariamente.


Plantas Variegatas


A maioria das plantas variegatas precisam de mais luz ou mais sol (vai depender de cada planta) que as plantas de folhagem totalmente verde. A variegação é uma condição genética (uma mutação) que ocorre na planta e a deixa com deficiência de clorofila. Com menos clorofila a planta precisa "compensar" essa falta recebendo mais luz para fazer fotossíntese. Pode acontecer da planta variegata perder a variegação por falta de luz/sol ou sem nenhum motivo específico, assim como uma planta totalmente verde pode se tornar variegata. Curioso, não?


É isso, gente. Alguém aí também começou a cultivar durante a quarentena? Tem alguma dica sobre as plantas do post? Deixe seu comentário e vamos propagar esse amor para que mais pessoas sejam contagiadas!


See you later!

Lana Cole.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ei, seja bem vindo (a) ao Blog Parada Obrigatória! Fique à vontade para perguntar e deixar Sugestões. Att, Aislana Cole